Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - UFPI > Criação da UFPI é divisor na história do Piauí, diz economista
Início do conteúdo da página

Criação da UFPI é divisor na história do Piauí, diz economista

Imprimir
Publicado: Segunda, 18 de Outubro de 2021, 19h33

 

UFPI_-_imagem_do_campus_em_1980.jpeg

Campus Ministro Petrônio Portela da UFPI em 1980

 

Ao longo de 199 anos, desde que os piauienses se levantaram em defesa da independência do Brasil, poucos eventos tiveram tanta importância para o estado quanto a criação da Universidade do Piauí (UFPI). O economista Felipe Mendes, um dos principais estudiosos da realidade do Piauí, abraça a tese que dois fatos merecem destaque pelo impacto que produziram na realidade local: além do surgimento da UFPI, a construção da barragem de Boa Esperança.


Felipe Mendes explica a importância desses dois fatos: a barragem, com a geração de energia, criou a infraestrutura produtiva imprescindível; e a UFPI dotou o estado de um capital humano que não dispunha até então na medida das necessidades nem com o foco próprio do estado. O estudioso não desconsidera outros movimentos importantes. Na história do Piauí, têm relevância a pecuária (fornecendo proteína para todo país) e o extrativismo vegetal, com suas aplicações referentes à Carnaúba. Mas nada igual a Boa Esperança e à UFPI.


“A criação da barragem representa um marco na infraestrutura física do estado, com o fornecimento de energia, e a UFPI na infraestrutura intelectual, com a produção de recursos humanos para dar sustentação aos processos de desenvolvimento", diz Felipe. Ele lembra que na década de 1950, cerca de 75% dos piauienses, com 10 ou mais, eram analfabetos, apenas 0,7% possuíam curso médio completo, e apenas 0,08% possuíam algum curso superior. "Dessa maneira lugar nenhum do mundo poderia se desenvolver, e o papel da Universidade veio também em cima desses problemas, e ela passou a formar professores para formação básica de estudantes, que sem os quais não teriam condições para entrar na UFPI", disse.

 

UFPI_-_Felipe_Mendes_01.jpg

 

 


Felipe considera ainda que o papel primordial da UFPI, tem sido fazer o piauiense pensar o Piauí. "A nossa UFPI, a partir de 1971 passou a dar uma nova dimensão a esse papel de formação dos quadros que conduziriam a um plano de desenvolvimento qualificado mais desejado, pois sem pessoas qualificadas nós não vamos para frente, e esse é o papel da Universidade, preparar pessoas para resolverem os problemas estruturais na área social e econômica e pessoas que possam pensar e discutir os nossos problemas".



A UFPI e o futuro

O estudioso destacou como bastante positivo o trabalho realizado pela UFPI na área do ensino a distância. Com cerca de 12 mil alunos na modalidade EaD, e promovida pelo Centro de Educação a Distancia (CEAD), em quase todo o estado, a instituição tem permitido a qualificação da mão de obra de piauienses nas mais diversas áreas e principalmente em lugares onde as pessoas não precisem sair de suas localidades para suas formações.


Outro destaque feito pelo pesquisador tem sido a qualificação de docentes em que a UFPI tem feito em seus quadros. "Hoje, temos muitos professores com doutorado, pós-doutorado buscando qualificações fora do estado, o que contribui não apenas para atividades do ensino, mas para pesquisadores com ferramentas para estudar as riquezas naturais do Piauí, como nossas potencialidades econômicas e outras", disse.



Próximos passos para o desenvolvimento

A UFPI tem unido forças com os mais diversos poderes públicos e iniciativa privada para a concretização do Parque Tecnológico da UFPI, que tem como objetivo reunir Ciência, Sustentabilidade, Inovação e Desenvolvimento, na busca de estratégias e parcerias e abrindo assim uma nova etapa no desenvolvimento do Piauí.

O parque será sediado dentro da própria UFPI, integrando a malha urbana de Teresina, e contará com serviços, espaços para a incubação e aceleração de empresas, ambientes compartilhados para negócios, laboratórios, governança e vivências com o meio ambiente. Serão 60 hectares, na área entre a junção das Avenidas Ulisses Marques e Presidente Kennedy, até as proximidades do Colégio Técnico de Teresina (CTT).

Uma de suas finalidades será o de aproveitar setores onde o estado já tem referência para atração de novos negócios. Onde se destacam a saúde, o agronegócio, a educação e a geração de energia. A expectativa é que, em médio prazo, o Parque Tecnológico da UFPI possa representar em torno de 4% a 5% do PIB do estado.

 

SAIBA MAIS:


Conheça o Parque Ambiental da UFPI
https://ufpi.br/ultimas-noticias-ufpi/40868-conheca-o-parque-ambiental-da-ufpi-uma-nova-relacao-da-cidade-com-a-cidadania

Parque Tecnológico da UFPI é apresentado ao Ministro da Ciência e Tecnologia
https://ufpi.br/ultimas-noticias-ufpi/41714-projeto-do-parque-tecnologico-da-ufpi-e-apresentado-ao-ministro-da-ciencia-e-tecnologia-marcos-pontes

 

Parque_Ambiental_01.png

Visão do projeto do Parque Ambiental

Fim do conteúdo da página