Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - UFPI > UFPI mantém ensino remoto, mas admite flexibilização em período que começa dia 22 de março
Início do conteúdo da página

UFPI mantém ensino remoto, mas admite flexibilização em período que começa dia 22 de março

Imprimir
Publicado: Segunda, 15 de Fevereiro de 2021, 16h54

 cepex_reuniao_2.jpg

Reunião virtual do CEPEX desta segunda (15)

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEX) da Universidade Federal do Piauí (UFPI) aprovou nesta segunda-feira (15) o calendário para o próximo período de aulas no ensino de graduação. O CEPEX aprovou a proposta elaborada pela Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PREG), resultado de ampla consulta à comunidade acadêmica. As aulas começarão no dia 22 de março, tendo como referência o modelo remoto. Mas a novidade é que será possível a flexibilização, em uma decisão que cabe aos colegiados dos cursos.

“A proposta aprovada reflete as manifestações colhidas nas discussões dentro da comunidade universitária. É a média do pensamento da comunidade”, diz Ana Beatriz, Pró-Reitora de Graduação. A flexibilização adotada para o novo período será possível levando em conta a situação sanitária e as condições específicas de cada curso no que diz respeito às disciplinas práticas. Pela resolução, as chefias de departamento e as coordenações de cursos discutem quais componentes podem ser flexibilizados e a quantidade de alunos que poderão assistir às aulas por vez.

“É uma proposta democrática que traz a voz da comunidade, fruto de uma discussão que alcançou todos os centros e campi. E é sobretudo uma proposta responsável que tem como cuidado maior o respeito à vida de alunos, professores e servidores”, ressalta Ana Beatriz. Ela ressalta ainda que a proposta aprovada pelo CEPEX tem ainda o suporte de uma ampla pesquisa entre alunos e professores, quando foi feita avaliação do período 2020.1, encerrado no final de janeiro.

Principais pontos da Decisão do CEPEX

- Período: começa em 22 de março e vai até 21 de julho;
- Modelo: remoto, com possibilidade de flexibilização de componentes curriculares;
- Quem decide: chefias de Departamento e Coordenações de cursos podem adotar a flexibilização de componentes curriculares em razão de condições específicas (como laboratórios) e a situação sanitária.

Os números da pesquisa de avaliação

Na reunião do CEPEX que aconteceu nesta segunda-feira, a PREG apresentou os números da pesquisa de avaliação do período passado, inteiramente remoto. Os dados mostram que cerca de 1.000 alunos trancaram a matrícula. Dos que cursaram o período, participaram da avaliação 6.793 alunos (34,1% dos matriculados) e 718 professores (39,9% do total). Cerca de quatro quintos (79,2%) dos alunos que participaram da pesquisa avaliaram como “Bom” ou “Muito bom” o nível de participação nas aulas e nas atividades de ensino.

Quase metade dos alunos (49,4%) considerou a experiência de ensino remoto Boa (26,6%) e Muito boa (22,8%), número que se soma aos 27,4% que consideraram Regular. A avaliação negativa é de 23,4%, soma de Ruim (11,9%) e Muito ruim (11,5%). Outros índices são ainda mais positivos. Ao avaliarem a própria competência no uso de novas tecnologias, Bom e Muito bom somam quase dois terços (63,6%); com Ruim e Muito Ruim chegam apenas a 13%. Os estudantes avaliam muito positivamente o desempenho dos professores, também com mais de 60% de Bom e Muito Bom.

Entre os docentes, repete-se a percepção positiva. A pesquisa realizada pela PREG mostra que apenas 11,6% dos professores apontam como Ruim ou Muito Ruim o ambiente on-line de aprendizagem. É ainda menor o percentual dos que mostram dificuldades com as novas tecnologias: só 5,3% para os índices de Ruim e Muito Ruim, enquanto 76,5% avaliam como Bom ou Muito bom. Vale observar, a UFPI – através do Centro de Educação a Distância – promoveu ampla qualificação dos seus docentes.

Fim do conteúdo da página