Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - UFPI > Parnaíba: alunos do curso de Fisioterapia recebem doações
Início do conteúdo da página

Abertura oficial do II Congresso de Entomologia do Piauí

Imprimir
Publicado: Segunda, 19 de Agosto de 2019, 14h53

DSC 668320190819130622

Congressistas prestigiando a abertura do evento

O Cine Teatro da Universidade Federal do Piauí ficou cheio durante a abertura do II Congresso de Entomologia do Piauí (II CEP), na noite do último domingo (18). Os participantes do evento prestigiaram a palestra “Entomologia no Brasil: presente, passado e futuro”, ministrada pelo engenheiro-agrônomo, Dr. José Roberto Postali Parra. O pesquisador investiga técnicas de criação e nutrição de insetos para programas de Controle Biológico.

DSC 665620190819130732

Dispositivo de honra 

A sessão de abertura do evento contou com a presença da Vice-Reitora, Dra. Nadir do Nascimento Nogueira, representando o reitor da UFPI; o Presidente do Congresso, Prof. Luiz Evaldo de Moura Pádua; o Diretor do Centro de Ciências da Saúde, Prof. Dr. Viriato Campelo; o Diretor do Centro de Ciências Agrárias, Prof. Dr. Paulo Ramalho; do Conselho Regional de Medicina (CRM), Dr. Gisleno Feitosa; o Presidente Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (CREA), Raimundo Ulisses; o Chefe-Geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Meio Norte), Luís Fernando; e o Diretor Geral da Mútua do Piauí, Manoel Coelho Soares.

DSC 657920190819130837

Prof. Luiz Evaldo de Moura Pádua, Presidente do Congresso

O Presidente do Congresso, Prof. Luiz Evaldo de Moura Pádua, destaca que objetivo do evento é compartilhar o que há de melhor na Entomologia e, sobretudo, fomentar o seio científico de jovens entomologistas do nosso estado. “O II CEP tem o intuito de colaborar na formação de estudantes, fortalecer parcerias entre professores e pesquisadores das instituições de ensino superior pública do Piauí (UFPI, UESPI, IFPI) e seus diversos campus distribuídos pelo estado, promovendo a associação entre conhecimento científico e inovações tecnológicas voltadas para aplicação prática da Entomologia”.

Segundo Luiz Evaldo de Moura Pádua, dentre os estados nordestinos, o Piauí tem implementado nos últimos anos, significativos aumentos na produção de alimentos, bem como, registros de agravos de doenças parasitárias. “A busca da produção de alimentos com qualidade e boas práticas agrícolas, visando o mínimo impacto ambiental e as visibilidades econômicas tornam-se necessárias. Do outro lado, entomologistas têm desenvolvido programas visando minimizar os agravos provocados pelas doenças parasitárias, ou seja, na grande área de conhecimento da Entomologia há sempre discussões envolvendo diferentes modelos, abordagens experimentais e estratégias de pesquisas”, explica.

DSC 660020190819130956

Prof. Dr. Viriato Campelo, Diretor do Centro de Ciências da Saúde 

O Diretor do Centro de Ciências da Saúde da UFPI, Prof. Dr. Viriato Campelo, garantiu que a Entomologia na UFPI é tratada de maneira integrada e ampla. “O congresso promove a associação entre conhecimento da Entomologia básica, agrária e médica de forma integrada e multidisciplinar. Fico muito feliz em participar deste evento, pois ele tem um caráter nacional, por tratar de assuntos de interesse de todos”.

DSC 661920190819131107

Prof. Dr. Paulo Roberto Ramalho, Diretor do Centro de Ciências Agrárias

O Prof. Dr. Paulo Roberto Ramalho, Diretor do Centro de Ciências Agrárias da UFPI, parabenizou a organização pela programação do evento. “É uma honra participar da abertura deste evento. Hoje, ao ler a programação deste evento, notei que ela contempla palestras e mesas redondas com temas variados. Fiquei muito feliz em ver que nossos egressos de graduação, mestrado e doutorado estão participando como palestrantes deste evento. Isto nos mostra que estamos no caminho certo”, explica.

DSC 663020190819131217

Prof. Dra. Nadir do Nascimento Nogueira, Vice-Reitora da UFPI

Pelo que se pode perceber logo no início, o II Congresso de Entomologia do Piauí promete dias com muitas discussões interessantes, descreveu em seu pronunciamento, a Vice-Reitora, Dra. Nadir do Nascimento Nogueira. De acordo com a professora, o II CEP é um evento que traz discussões com pesquisadores renomados do Brasil inteiro e que provoca interesse da comunidade acadêmica e científica.

“Quero destacar a importância multidisciplinar dos temas da área da entomologia. Ela está presente no Centro de Ciências da Saúde, no Centro de Ciências Agrárias, no Campus Cinobelina Elvas. Então, isso mostra a atenção que a UFPI tem dado a este assunto presente em dois câmpus e em mais de um Centro. Na programação, nós percebemos a grande interface que tem a Entomologia, seja agrária, seja na área da veterinária e humanas. Nós lembramos aqui o CIATEN, que é um centro recém instalado na UFPI, que possui uma grande atenção em relação a alguns vetores de doenças que nos preocupam bastante, como a dengue, chikungunya, zika, leishimaniose e etc. Certamente, estas temáticas abordadas na área da Entomologia remetem a problemas que são de nível mundial, como por exemplo,  a questão do meio ambiente, aquecimento global. Há um desequilíbrio que nós estamos vivenciando que afetam diretamente o meio ambiente, as pessoas de maneira geral”.

“Entomologia no Brasil: presente, passado e futuro”

DSC 666220190819131330

Dr. José Roberto Postali Parra, palestrante da abertura oficial do evento 

O engenheiro agrônomo, Dr. José Roberto Postali Parra, que investiga técnicas de criação e nutrição de insetos para programas de Controle Biológico, ministrou sobre a história da Entomologia no Brasil. O pesquisador propôs uma reflexão, onde permitiu, por meio da história, reverenciar a memória de simpósios, congressos, autores e pesquisadores que fizeram parte do passado, do presente e que fará parte do futuro da Entomologia.

“Embora a Entomologia Agrícola no Brasil tenha iniciado os seus primeiros passos na década de 40, Carlos Moreira pode ser considerado o pai da Entomologia Agrícola no Brasil com o livro “Entomologia agrícola Brasileira”, em duas edições, em 1921 e 1929. A Entomologia Agrícola, que é o nosso tema, vai tratar de insetos prejudiciais e benéficos às plantas cultivadas. No começo, existiam áreas distantes. Então trabalhavam com taxonomia, outro com ecologia, morfologia, fisiologia, ecologia, que serviam de orientação ou método de controle. Neste período, existiam coisas distantes sem grande ligação entre si, logicamente que isso mudou. Hoje, nós temos uma Entomologia que envolve ações multidisciplinares, que vão desde a climatologia até biotecnologia e etc. Então na agricultura, a Entomologia mudou". 

DSC 667320190819131454

Dr. José Roberto Postali Parra

De acordo com Dr. José Roberto Postali Parra, para muitos, o motivador da área de Entomologia Agrícola foi Ângelo Moreira da Costa Lima da Universidade Rural do Rio de Janeiro com a publicação de sua coleção “Insetos do Brasil” em 12 volumes, publicado entre 1938 e 1962. “Nós tínhamos uma pessoa que entendia de tudo, escrevendo sobre os diferentes grupos e as diferentes ordens de insetos. Nós vemos que na década de 90 tivemos avanços, por exemplo, relacionados à EMBRAPA, que realizou a construção de um sistema de quarentena na década de 90 que facilitou muito o Controle Biológico”, explica.

Segundo o pesquisador, o inicio dos estudos de Entomologia Agrícola no Brasil foi bastante influenciado por agroquímicos ou uma cultura de agroquímicos de Controle Biológico. “Essa cultura dificulta a implementação de métodos de Controle Biológico, diferentemente de outros países da América Latina que foram influenciados por Universidades Americanas que enfatizavam o Controle Biológico, tiveram influência da Califórnia, que é o berço do Controle Biológico”, comenta.

Fim do conteúdo da página