Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - UFPI > Pesquisadora da UFPI explica origem dos abalos sísmicos em Teresina
Início do conteúdo da página

Estação de Aquicultura do Campus de Parnaíba realiza reprodução e produção de alevinos de peixes

Imprimir
Publicado: Terça, 14 de Fevereiro de 2017, 10h47

A Estação de Aquicultura do Campus Ministro Reis Velloso da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Parnaíba, com apoio do Centro de Saberes Delta EcoCais, vem realizando a reestruturação e revitalização da unidade produtora de aquicultura. Está sendo realizado um trabalho de propagação artificial de peixes comerciais, inclusive a domesticação inédita de espécies nativas da Bacia do rio Parnaíba, com destaque para a reprodução e desova da curimatã, Prochilodus lacustris  (Steindachner, 1907) e Piau, Leporinus spp, que batiza o nome do nosso estado.

O trabalho coordenado pelos professores doutores Josenildo Souza e Michelle Vetorelli, vem apoiando trabalhos de conclusão de cursos – TCCs e dissertações, a exemplo dos estudantes Antonio Moraes que concentrou sua análise na reprodução de peixes tropicais; de Karla Fernandes, que investiga o desenvolvimento das larvas e alevinos; e de Roberta Almeida, que acompanha a larvicultura, seus estudos de mestrado, concentram-se em analisar a produção de alimentos naturais nesses primeiros estágios de vida dos peixes, oriundos das desovas realizadas na Estação Delta Aquicultura da UFPI.

IMG 20170214 WA0015

Professores e alunos que atuam no projeto

Para o Prof. Dr. Josenildo Souza, o sucesso na reprodução, desova e larvicultura, abre perspectiva de avançar na aquicultura sustentável para a região, com a possibilidade de ofertar no futuro próximo alevinos (nativos e de espécies comerciais) para os piscicultores do Piauí, Maranhão e Ceará, pois o Piauí importa mais de 40% dos alevinos demandados pelos cultivos locais. Cabe destacar, ainda, que o projeto contribui para a formação de mão de obra especializada, ao longo de todo processo de propagação artificial dos peixes, conta com a equipe de estudantes de Engenharia de Pesca e bolsistas do Projeto Sementes dos saberes Agroecológicos, Juventudes Agrárias e Gestão Territorial (UFPI/MDA-SEAD/CNPq/Fetag/Incra).

O Prof. Dr. José Arimatéia Dantas Lopes, Reitor da UFPI, avalia positivamente os frutos do projeto. “Essas sementes de peixes oriundas da produção de ciência de nossa unidade de produção de peixes, mostra que estamos cumprindo nossa missão institucional, o atender a demanda da sociedade, ofertando os produtos e serviços dos processos investigativos ao povo do Piauí e demais regiões”, afirmou.

IMG 20170214 WA0005

Durante processo de indução hormonal

Para o Diretor do Campus Ministro Reis Velloso, Prof. Dr. Alex Marinho, a Estação já estava realizando atividades de aquicultura, apoiando aulas práticas, estudos e capacitações, agora avançou para ofertar alevinos aos produtores de peixes.

O professor Josenildo Souza, destaca ainda as parcerias realizadas ao longo dos últimos dois anos. “Temos contado com apoio da gestão superior da UFPI, da Direção do Campus Ministro Reis Velloso, da Codevasf, da Secretaria de Desenvolvimento Rural do estado do Piauí – SDR e mais recentemente do Banco do Nordeste, com um projeto junto ao ETENE que nos apoiará no avanço no cultivo em sistema de circulação de água, tecnologias socioambientais e de baixo custo para a aquicultura”.

Confira mais fotos:

IMG 20170214 WA0010

IMG 20170214 WA0014

IMG 20170214 WA0013

 

Fim do conteúdo da página