Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - PREX
Início do conteúdo da página

CEPEX aprova Resolução de criação e funcionamento de núcleos e grupos de extensão na UFPI

Imprimir
Publicado: Sexta, 17 de Julho de 2020, 15h34

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEX) aprovou, por unanimidade, a Resolução Nº 047/2020 que regulamenta a criação e funcionamento de núcleos e grupos de extensão na Universidade Federal do Piauí. A Resolução foi proposta pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PREXC).

Segundo a Resolução, o Núcleo de extensão se caracteriza como um grupo de extensionistas com propostas de ações conjuntas em áreas e linhas temáticas de extensão enquadradas em áreas de conhecimento estabelecidas pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do MEC, com o propósito de coordenar, acompanhar, fomentar e articular, propor, bem como, orientar, apoiar, potencializar e publicizar atividades de extensão que viabilizem a indissociabilidade entre o ensino e a pesquisa, articulados com as demandas da sociedade e que estejam de acordo com as diretrizes e normativas que regem a extensão universitária no Brasil e no âmbito da UFPI.

A Resolução estabelece, ainda, que os Núcleos ou Grupos de Extensão poderão ser concomitantemente de Pesquisa, destacando a indissociabilidade entre Pesquisa e Extensão e os Núcleos e Grupos de Pesquisa já cadastrados na PROPESQI poderão se tornar “Núcleos de Pesquisa e Extensão” ou “Grupos de Pesquisa e Extensão”, desde que cadastrados na PREXC.

“Esta resolução representa uma conquista de grande valor para a extensão, pois amplia a oportunidade de realização de projetos e outras atividades extensionistas, nas diversas áreas de conhecimento, inclusive na area da transferência tecnológica, fortalece a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, além de fomentar parcerias com instituições nacionais e internacionais e viabilizar, de forma mais efetiva, a participação em seleção de editais de órgãos de fomento como CNPq, entre outros, uma vez que possibilitará que os Núcleos discutam e proponham ações conjuntas de acordo com áreas e linhas temáticas da extensão existentes na UFPI, articuladas com as áreas de conhecimento estabelecidas pela CAPES e linhas de atuação do CNPq”, destacou a Pró-Reitora da PREXC, Cleânia de Sales Silva.

cleania sales.jpeg

Pró-Reitora da PREXC, Cleânia de Sales Silva

O Coordenador do Núcleo ou Grupo de Extensão será docente efetivo da UFPI ou técnico efetivo de unidades a ela vinculadas (Colégios Técnicos, HU e HUV) e deverá ter, no mínimo, o título de Mestre e as ações de extensão propostas pelo Núcleo ou Grupo seguirão as normativas que regulamentam tais ações na UFPI, antes de serem cadastradas na PREXC.

Segundo a Pró-Reitora Cleânia de Sales Silva, o Núcleo de Extensão vai promover amplos e diversificados estudos, leituras e práticas que permeiam o universo social e acadêmico. “Nesse sentido, se constitui em uma ótima oportunidade de seus participantes atualizarem seus conhecimentos, aprenderem, refletirem as demandas das comunidades de forma fundamentada e crítica e, acima de tudo, buscarem alternativas coletivas para mitigar tais demandas. A vivência em Núcleos de extensão contribui, portanto, para o processo formativo do aluno, para a produção acadêmica e científica e para direcionar a trajetória estudantil e de um profissional comprometido em compreender e atuar na realidade, de modo crítico e com vistas a promover impactos sociais que garantam a cidadania e a inclusão social”, explica.

A Pró-Reitora destacou, ainda, que a expectativa da PREXC é que a Resolução gere mais engajamento da comunidade acadêmica nas ações de extensão. "A partir desta normatização, esperamos que docentes, técnico-administrativos e discentes da UFPI sintam-se mais motivados para atuarem nas discussões sobre a interação da academia com a sociedade, sobre os problemas vividos pelos diversos segmentos sociais e sobre as possibilidades de superação de tais problemas por meio de projetos, eventos e outras ações de extensão. Esperamos, ainda, que os nossos pesquisadores se sintam motivados em articular seus estudos e pesquisas com discussões e ações concretas de intervenção social. Temos defendido que, se pelo menos 50% dos nossos pesquisadores fossem também extensionistas, a contribuição deles seria bem mais significativa e a realidade de nossas comunidades seria outra. Esperamos, portanto, que sejam criados muitos núcleos de extensão e de pesquisa, mas, sobretudo, que os núcleos e grupos de pesquisa existentes na UFPI passem a ser também de extensão efetivamente e intitucionalmente, seguindo as normativas e diretrizes da Extensão. Enfim, esperamos que, com esta normatização, a extensão universitária ganhe maior reconhecimento e valorização tanto no âmbito da UFPI quanto no âmbito dos órgãos governamentais de fomento, que a indossiciabilidade tão defendida entre ensino, pesquisa e extensão se fortaleça e que se amplie a viabilização de projetos voltados para o atendimento das vulnerabilidades vivenciadas pelas nossas comunidades”, finalizou a Pró-Reitora Cleânia de Sales Silva.

Acesse a Resolução Nº 047/2020

 

 

Fim do conteúdo da página