Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - CCS > Departamento de Morfologia realiza homenagem ao Cadáver Desconhecido
Início do conteúdo da página

Departamento de Morfologia realiza homenagem ao Cadáver Desconhecido

Imprimir
Publicado: Terça, 04 de Dezembro de 2018, 15h18

Na manhã desta sexta-feira (30), celebrou-se a homenagem ao Cadáver Desconhecido, com o intuito de agradecer ao corpo biológico por sua contribuição para o conhecimento. Ocorrida no Departamento de Morfologia do Centro de Ciências da Saúde (CCS), no setor de Anatomia Humana da Universidade Federal do Piauí (UFPI), a homenagem foi feita por meio de apresentações dos estudantes, recitação de poemas, textos e apresentações musicais.

 

30112018 marcosiago 72018113012110920181204150834

Mesa de honra de celebração ao cadáver desconhecido

 

O evento contou com a participação do Diretor do Centro de Ciências da Saúde, Prof. Dr. Viriato Campelo; da Vice-Diretora, Profa. Dra. Carla Maria de Carvalho Leite; da Chefe do Departamento de Morfologia, Profa. Dra. Maíra Soares; da Coordenadora do Setor de Anatomia, Profa. Dra. Selma Maria Moura; e da Coordenadora do Setor de Histologia; Profa. Dra. Eunice Anita de Moura Fortes.

IMG 83662018113012161420181204151040

Viriato Campelo/ Diretor do Centro de Ciências da Saúde

 

A primeira homenagem foi em 1973 e durante esses 42 anos, segundo o Diretor do Centro de Ciências da Saúde; Professor Dr. Viriato Campelo, o evento é de suma importância para que se continue, para que não se deixe morrer o respeito a esses cadáveres que tanto cooperam para o aprendizado da Anatomia. "Não podemos nos abater esse ano comemorando 50 anos do curso de Medicina, percebemos o quão é fundamental o cadáver e termos essa solenidade é uma forma de agradecimento a eles".

30112018 marcosiago 132018113012212120181204151507

Leonardo Borges/organizador geral do evento

 

Para o Prof. Dr. Leonardo Borges, organizador geral do evento, o principal objetivo é humanizar esses cadáveres e mostrar aos alunos que somos iguais a eles.

De acordo com a Lei n° 8.501, de 30 de novembro de 1992, estes cadáveres podem ser utilizados para o ensino e para a pesquisa. O processo para obter o corpo é por meio de um procedimento formal de doação, por documentação, entre a Universidade e o Instituto Médico Legal (IML). É necessário que o cadáver seja indigente. Ao chegar à UFPI fica seis meses sem ser analisado, para só então começarem os estudos.

No encerramento foi realizada uma missa, como símbolo do velamento e agradecimento ao corpo.

30112018 marcosiago 112018113012264220181204151702

 

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página