Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - Parnaíba > Cerimonial divulga calendário das solenidades de colações de grau período 2018.1
Início do conteúdo da página

Pesquisadores do PPGBIOTEC da UFDPar publicam artigo em revista científica do grupo Nature

Imprimir
Publicado: Sexta, 14 de Fevereiro de 2020, 10h37

WhatsApp Image 2020 02 14 at 10.24.2020200214102840

Abaixo o Prof. Dr. Jand Venes R Medeiros e a doutoranda Nayara Alves de Sousa.

  Pesquisadores da UFDPar, liderados pelo prof. Dr. Jand Venes R Medeiros, em parceria com pesquisadores da UNB, Universidade do Porto e Universidade de Lisboa, publicaram um importante artigo na revista científica “Scientific Reports” do grupo Nature, um dos mais prestigiados periódicos do mundo. O periódico Scientific Reports é o 11o mais citado do mundo, tendo 300.000 citações no ano de 2018. A pesquisa pode ser lida através do site: https://www.nature.com/articles/s41598-020-59665-1

No trabalho, que foi parte do doutorado da estudante Nayara Alves de Sousa, os pesquisadores conseguiriam identificar e isolar dois peptídeos, Ocellatina-K1(1-16) e Ocellatina-K1(1-21), a partir da secreção cutânea da rã tropical, Leptodactylus vastus (ver foto). Segundo os pesquisadores, a espécie L. vastus vive na região do Delta do Parnaíba, Nordeste do Brasil, com exposição a fortes e longos períodos de radiação solar em que sua pele é exposta a elevada radiação ultravioleta. Assim, é provável que possuam um sistema antioxidante específico e altamente eficaz. Parte deste sistema antioxidante destes anfíbios deve-se a produção de peptídeos que ajudam na eliminação de radicais livres 

WhatsApp Image 2020 02 14 at 10.25.4720200214102841

Assim, a identificação dessas moléculas poderá contribuir para a identificação de uma nova abordagem terapêutica de um possível agente antioxidante neuronal. A pesquisa não apenas conseguiu identificar dois peptídeos do anfíbio, mas também verificou sua ação no tecido neural e em células nervosas humanas. O tecido neural tem uma alta taxa de consumo de oxigênio e possui uma alta atividade metabólica e, portanto, é vulnerável à peroxidação lipídica em comparação com outros tecidos. Consequentemente, peptídeos antioxidantes, que exercem rapidamente suas funções biológicas, têm potencial para prevenir danos neuronais relacionados à peroxidação lipídica. A pesquisa sugere que as ocellatinas identificadas podem formar a base para a descoberta e desenvolvimento de novos agentes que podem controlar a produção de radicais livres e a ativação microglial, a fim de tratar ou prevenir o estresse oxidativo associado a várias doenças neurológicas.

Modelo de ação neuroprotetor sugerido para Ocellatina-K1(1-16) e Ocellatina-K1(1-21). 

WhatsApp Image 2020 02 14 at 10.27.0620200214102840

Fim do conteúdo da página