Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - Parnaíba > UFPI e SESAPI firmam parceria para criação de Centro de Especialidades Médicas em Parnaíba
Início do conteúdo da página

UFPI e SESAPI firmam parceria para criação de Centro de Especialidades Médicas em Parnaíba

Imprimir
Publicado: Quarta, 24 de Janeiro de 2018, 15h12

23.01. Termo de Sessão de uso de ímovel em Parnaíba 06Reunião no Salão Nobre da Reitoria

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) firmou nesta terça-feira (23) uma parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI), que autoriza a utilização do Prédio Anexo do Curso de Medicina, do Campus Ministro Reis Velloso, em Parnaíba, para a implantação do Centro de Especialidades Médicas.

23.01. Termo de Sessão de uso de ímovel em Parnaíba 03Participantes da reunião

A expectativa é a implantação de uma Policlínica no local cedido e atender toda a região com 11 especialidades médicas, o que contribuirá para o atendimento a comunidade e funcionará como base de pesquisas e ensino.

A reunião destacou o trabalho para articular o curso com a responsabilidade social, já que a partir do Centro de Especialidades conciliarão esses esforços na prática, ao permitir que os alunos desenvolvam atividades no momento do internato, junto ao hospital de referência, Dirceu Arcoverde. Poderão dar atenção especial para doenças como diabetes e hipertensão, as chamadas condições crônicas, que são as doenças que mais assolam a população do Piauí. 

23.01. Termo de Sessão de uso de ímovel em Parnaíba 05Reitor da UFPI, Prof. Dr. José Arimatéia Dantas Lopes

Para o Reitor da UFPI, Prof. Dr. José Arimatéia Dantas Lopes, a implantação do Centro de Especialidades prestará um precioso serviço para a comunidade de Parnaíba e região. Ele explica que "irá servir como campo de estágio para os nossos estudantes e de pesquisa para os nossos professores”. Argumenta também, que a parceria é uma “troca em que todos saem ganhando; a Universidade, a SESAPI, e, principalmente, a comunidade de Parnaíba e região sai beneficiada”, finaliza.

23.01. Termo de Sessão de uso de ímovel em Parnaíba 02Secretário de Saúde, Florentino Alves Veras

O Centro de Especialidades Médicas pretende dispor de atendimento ambulatorial especializado aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Para o Secretário de Saúde, Florentino Alves Veras, a parceria com a Universidade é extremamente importante, pois dará oportunidade de atenção à saúde na região da planície litorânea. Florentino Alves comenta que a parceria é "importante porque promove a integração do curso de Medicina com os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS)". O secretário destaca, ainda, o envolvimento dos estudantes de Medicina ao dizer que “é importante por ser também campo de estágio no curso de Medicina, porque atenderá toda uma região de usuários do sus da planície litorânea”, finaliza. 

23.01. Termo de Sessão de uso de ímovel em Parnaíba 01Prof. Dr. Alexandro Marinho Oliveira

O Diretor do Campus Reis Velloso, Prof. Dr. Alexandro Marinho Oliveira, destaca a importância de fomentar o curso de Medicina, pois “nossos alunos estão indo agora para o internato, e o ensino especializado é um dos pontos para criar nossas residências, para os alunos colocarem em prática os conhecimentos adquiridos ao longo do curso”. Ele afirma que o Centro de Especialidades “vai abrir espaço no tratamento em saúde para a população de Parnaíba”, conclui. 

23.01. Termo de Sessão de uso de ímovel em Parnaíba 04Coordenador do Curso de Medicina em Parnaíba, Prof. Dr. Ivo Pedrosa

O Coordenador do Curso de Medicina em Parnaíba, Prof. Dr. Ivo Pedrosa, explica que o acompanhamento desses pacientes no centro de especialidades trará mais comodidade para a população, desafogando os atendimentos de urgência, já que após receber as orientações especializas, o paciente será acompanhado pela unidade básica de saúde, sem esperar a pressão subir outra vez para que ele seja atendido no pronto-socorro. "Iremos proporcionar aos professores a oportunidade de pesquisa, tanto em termos de melhorar os indicadores epidemiológicos, quanto de testar métodos de diagnóstico e terapia”. Ele argumenta, ainda, que “com isso vamos desenvolver nos estudantes um pensamento profissional que elabora perguntas e se questiona sempre “será que eu agi bem, será que existe outra maneira”, ou seja, o pensamento do estudante será sempre pensamento crítico, científico e reflexivo”, conclui.

Fim do conteúdo da página