Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias - Parnaíba > MEC abre edital para apoio a Programas e Projetos de Extensão
Início do conteúdo da página

Aluno do Mestrado da UFPI - CMRV Desenvolve Dispositivo para Deficiente Visual Integrado ao Smarthphone

Imprimir
Publicado: Segunda, 13 de Novembro de 2017, 12h09

Foto

Deficiente Visual reconhecendo o ambiente

Com o objetivo de disponibilizar um dispositivo de baixo custo, fácil usabilidade e que facilitasse as atividades diárias de pessoas com deficiência visual, pesquisadores do Laboratório de Neuroinovação Tecnológica & Mapeamento Cerebral, sediado na Universidade Federal do Piauí, em Parnaíba, desenvolveram um protótipo de sistema que permite ao deficiente visual, identificar obstáculos, a luminosidade, a temperatura do ambiente e as cores. Trata-se de um dispositivo de substituição sensorial, nominado App Guide. O App Guide é composto em uma central posicionada no pulso do usuário que controla os sensores. O hardware emite, via bluetooth, as informações ao aplicativo instalado em um Smartphone, que por sua vez, comunica por voz ao deficiente visual. O protótipo faz parte de uma pesquisa de mestrado do Programa de Ciências Biomédicas desenvolvida pelo aluno Marcos Ayres sob a orientação do Prof. Dr. Silmar Teixeira e coorientação do Prof. Dr. Gildário Lima.

 “Imagine o deficiente visual com independência para escolher a cor da roupa que pretende usar. Esse é um procedimento do dia-a-dia que parece simples aquele com boa visão, mas aos que não conseguem esse acesso ao ambiente, o nosso dispositivo será de grande auxílio, explica o professor Silmar.

O professor menciona que o App Guide também possibilita ao deficiente visual andar sem o uso de bengala. Ao disponibilizar a opção “caminhar” o App Guide emite um aviso verbal indicando ao usuário o número de passos e a altura do obstáculo à sua frente.

Estamos muito satisfeitos com os resultados e com todo processo, haja vista que desde os primeiros passos com o desenvolvimento do circuito elétrico, até chegarmos ao produto final conseguimos realizar o processo com os recursos do nosso laboratório. Além disso, os caminhos que percorremos para chegarmos no App Guide foram de muita dedicação e estudo, e a frente estaremos amplamente direcionados às melhorias no dispositivo, de forma a oferecermos um produto que auxilie, não apenas maior independência ao deficiente visual, mas também na facilite-lhes nas atividades diárias, conclui o professor Silmar.

O aluno responsável pelo desenvolvimento do App Guide, Marcos Ayres, pretende avançar com a pesquisa migrando para um hardware menor, mais leve e com maior eficiência energética, para maior período de utilização sem recarga. Em médio prazo, pretendemos aprimorar o dispositivo com a colaboração dos usuários. O feedback dos deficientes visuais será de grande valia para um produto com maior qualidade para o usuário. Os testes do App Guide com os deficientes visuais foram realizados em uma pequena amostra. Estamos ampliando o tamanho da amostra para que possamos adquirir uma validação mais precisa do nosso sistema. Estou muito feliz com os resultados parciais, além presenciar a empolgação e satisfação do deficiente visual, por exemplo, ao observá-los conseguir escolher a cor da roupa que gostaria de usar, realmente é uma enorme satisfação, e isso faz com que ampliemos nossos horizontes e possamos oferecer o melhor ao usuário. 

Fim do conteúdo da página